Colaboração Organizacional

Para lidar com os relacionamentos colaborativos estabelecidos entre organizações, foi criada a ISO44001, que representa um importante marco para os negócios. É o primeiro normativo internacional focado nas relações estabelecidas entre as organizações e pode ser escalado e adaptado para atender às necessidades específicas das empresas.

Desenvolvida com uma abordagem consistente e estruturada, para potenciar o alinhamento na integração do trabalho colaborativo dentro dos procedimentos operacionais, processos e sistemas, a criação desta plataforma permite uma gestão mais eficaz, uma vez que irá acelerar e, suportar o desenvolvimento das parcerias entre organizações. A ISO44001 estabelece uma linha de base para o desenvolvimento de recursos, suporte e formação para aumentar a capacidade de colaboração e, assim, melhorar as competências interrelacionais e, a capacidade de intercâmbio entre pessoas.

Em suma, uma estrutura standard deste tipo irá contribuir para uma maior eficácia e, eficiência das organizações: processos de negócios fortalecidos; melhoria da gestão de risco; minimização de agendas escondidas e de incompatibilidade de objetivos; redução da probabilidade de conflito. Esta estrutura age como uma ponte entre as culturas de instituições parceiras, ajudando a formar uma aliança mais robusta, proporcionando mais confiança aos envolvidos e estabelecendo uma base para a inovação. O mais importante de tudo: melhora o potencial de relações sustentáveis ​​que agregam valor.

Antecedentes da ISO 44001

A jornada para a ISO 44001 começou em 2004, onde a ICW (Institute Collaborative Working) começou a consolidar os seus conhecimentos para estabelecer um mapa de rotas para o colaborativo, o que resultou no lançamento da CRAFT, uma abordagem única e integrada para construir e manter relacionamentos de negócios mais eficazes. Isso coincidiu com um projeto de pesquisa “Conexões Futuras”, onde se destaca o crescimento e, a procura por modelos operacionais de negócios mais complexos em direção a 2020.

Neste contexto, a ICW associou-se à British Standards Institution (BSI) com o conceito de desenvolver um normativo nacional, inicialmente publicado como PAS 11000 (2006). A ICW continuou a sua associação com a BSI para criar um sistema de certificação, pilotado com sucesso em 2009 e, posteriormente para presidir a comissão BSI e, migrar para a BS 11000 publicada em 2010. Em março de 2017, foi publicada a ISO 44001.

Benefícios de trabalhar com a ISO 44001

Os relacionamentos organizacionais colaborativos oferecem uma ampla gama de benefícios que aumentam a competitividade e, o desempenho através de:

  • Compromisso e risco partilhado;
  • Processos assertivos, tangíveis e avaliados;
  • Gestão de riscos orientada aos requisitos de negócio;
  • Competências interrelacionais desenvolvidas;
  • Relações sustentáveis.

A metodologia é uma ferramenta de negócios que ajuda as organizações a implementar um sistema flexível e, robusto de relacionamentos de parceria envolvendo dois ou mais negócios. Implementa práticas de gestão de relacionamento que ajudam a garantir que as empresas de todos os tamanhos, obtenham o valor máximo de trabalhar com os outros, para alcançar um objetivo ou resultado comum.

Segundo uma investigação realizada pelo BSI, além dos benefícios acima, fornece ainda as seguintes vantagens comerciais:

  • 79% aumenta a vantagem competitiva;
  • 62% atrai novos clientes;
  • 55% melhora produtos e serviços;
  • 55% protege seu negócio;
  • 53% gere risco de negócios.

O Quadro de Oito Estágios

O modelo de ciclo de vida da ISO44001 é estruturado em três fases (Estratégica, Compromisso e Gestão) com o objetivo de criar uma metodologia que maximize os benefícios do trabalho colaborativo organizacional, suportado numa cultura e, comportamentos adequados, visando a criação de valor para as partes interessadas.

Diagram

Estratégico

1. Consciência

Relacionar-se efetivamente com organizações externas pode ser desafiador e, pode ser limitado por barreiras internas. É crucial assegurar que os esforços se concentram nas relações em que a colaboração proporcionará valor real.

2. Conhecimento

A criação de uma colaboração eficaz requer estratégias que se concentram nos objetivos empresariais e reconhece os riscos associados a uma maior integração, incluindo a gestão do conhecimento e, a continuidade do negócio, apoiada por uma estratégia de saída para identificar preocupações fundamentais.

3. Avaliação Interna

Entender as forças e, as fraquezas de nossas próprias organizações são críticas para que a colaboração seja bem-sucedida. Isso inclui processos, competências e experiência compatíveis com os resultados desejados.

Compromisso

4. Seleção de Parceiros

Encontrar o parceiro certo é fundamental, contudo frequentemente é suportado em suposições ou relacionamentos tradicionais de longa data que podem simplesmente migrar. É importante compreender o perfil que a organização procura e, como avalia a sua capacidade de colaborar.

5. Trabalhando Junto

Estabelecer um governance conjunto para programas colaborativos e, integrá-lo com arranjos efetivos de contratação exige uma atenção cuidadosa, considerando objetivos conjuntos e, os de cada parceiro, assegurando simultaneamente que, incentivos e ações conjuntas potenciam comportamentos colaborativos.

6. Criação de Valor

A chave para manter uma relação forte é assegurar que ela permanece atual e, conduz à inovação para trazer valor adicional aos parceiros, através de um programa conjunto de melhoria contínua.

Gestão

7. Permanecer Junto

A gestão conjunta é crucial para que os relacionamentos amadureçam e apóiem ​​as pessoas eo ambiente de negócios. O desempenho e os comportamentos eficazes devem ser monitorados juntamente com questões e disputas que serão inevitáveis, mas podem fortalecer as relações se forem tratadas de forma eficaz.

8. Saída Estratégica

Manter uma estratégia de saída conjunta é importante para manter os parceiros focados. Ao mesmo tempo, ter regras claras para o desengajamento freqüentemente melhorará o engajamento ao longo da vida do relacionamento e no futuro.